(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

segunda-feira, 19 de julho de 2010

VERSOS


Tenho amor pelos Versos ate pelos meus...

Os seus... Principalmente o do nosso adeus!

Amo os Versos Sinceros escritos nos labirintos da Dor!

Amos os Versos Mudos escritos por sussurros dos Subúrbios!

Amos os Versos de Amor... Pois a Alegria é um lapso da Dor!

Tenho amor pelos versos Obscuros pois são reflexo do futuro!

Amo os Versos escritos no Escuro sabemos que é daí o nascedouro do Absurdo!

Amo os Versos da Paixão pura Sofreguidão!

Amo os Versos da Saudade imagem da nulidade!

Amo os Versos dadaístas o Estriquinina da rima!

Tenho amor pelos Versos de Dor que contam historias de Amor!

Amo os Versos dos Becos escritos pelo Desespero!

Tenho amor pelos Versos do Cárcere rabiscos nas Azas da Liberdade!

Amo os Versos do Sexo seus Fluidos e Objetos!

Tenho amor pelos Versos das Madrugadas entre linhas de historias Bastardas!

Amos os Versos hediondos escritos pela mão do Abandono!

Nenhum comentário:

Postar um comentário