(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

06 FEB 2010 - MAKE CAPITALISM HISTORY !! - JUST DO IT !!

Poverty is not just caused by government policies – it’s caused by the global economic and political system. Mega-rich banks are sucking the people of the world dry. Unemployment has reached an all time high, personal tax is now staggering and still the banks are managing to pay themselves record bonusses without any real attempt from the government to block this.

This domination of the world market by the banks and the big monopoly companies has a name: imperialism. A handful of robber nations, whose capitalists have saturated their domestic market, seek to make super-profits from the rest of the world.

Destroy the IMF, WTO and World Bank!
These undemocratic – and therefore unreformable – institutions of neoliberalism must be broken up. They serve no one’s interests except the rich and powerful corporate bosses.

On the 6th of Feb 2010 groups from all over the world will be joining to storm into their financial districts and make capitalism history.

We ask that you all take part in your own capitals and help our voices to be heard!

Information on location and times:

http://www.antifa.fr/worldwide

http://www.facebook.com/event.php?eid=260818433540&index=1
(ENGLISH)

http://www.facebook.com/group.php?gid=236955989937&ref=mf
(GREEK)

http://www.facebook.com/group.php?gid=290989276194&ref=mf
(FRENCH)

http://www.facebook.com/group.php?gid=315053189967
(ITALIAN)





JOIN US - JUST DO IT !!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Balaio de Gato


Elias é um grande amigo meu foi ele quem me disse: Quem morre é quem se fudeo!

A Escrotologia dos meus versos para ser sincero tem muito de religião... Sendo assim desta Suruba sagrada nascem todas as desgraças que povoam minha imaginação!

O Mar encanta o turista que sorrir com suas lindas filhas do alto do Mirante... Alçando vôo o monarca observa que seus domínios são tão vastos quanto a terra. E entre vôos rasantes justo neste instante o Punhal transpassante lhe cega... Dentro da Escuridão observa que ele é o útero de toda Miséria!

Depois de tudo que eu li tomei vários banhos com teu xixi... Purificado indago Gabriel: O passado se escreve com “M’ ou com “Til”? ...fala Fio!

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

TORQUATO NETO


a) A virtude é a mãe do vício
conforme se sabe;
acabe logo comigo
ou se acabe.

b) A virtude e o próprio vício
- conforme se sabe -
estão no fim, no início
da chave.
c) Chuvas da virtude, o vício,
conforme se sabe;
é nela própriamente que eu me ligo,
nem disco nem filme:
nada, amizade. Chuvas de virtude:
chaves.

d) (amar-te/ a morte/ morrer:
há urubús no telhado e carne seca
é servida: um escorpião encravado
na sua própria ferida, não escapa: só escapo
pela porta de saída).

e) A virtude, a mãe do vício
como eu tenho vinte dedos,
ainda, e ainda é cedo:
você olha nos meus olhos
mas não vê nada, se lembra?

f) A virtude
mais o vício: início da
MINHA
transa, início, fácil, termino:
"como dois mais dois são cinco"
como Deus é precipício,
durma,
e nem com Deus no hospício
(durma) nem o hospício
é refúgio. Fuja.



quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

PUNX ROMPENDO FRONTEIRAS 23 e 24 de janeiro em SP




PUNX ROMPENDO FRONTEIRAS


23 e 24 de janeiro em SP



2 dias de troca de experiências, idéias, projetos e conspirações entre punx de diversas cidades no DCE Ocupado (USP).



Bandas, debates, videos punx feitos por punx, feira do rolo, exposições, oficinas e mais!


http://anarcopunk.org/eventos/wp-content/uploads/2009/12/cartaz_janeiro_web2.jpg

http://anarcopunk.org/eventos



http://www.cutandpastescripts.com/cgi-bin/newsletter/r.pl?dduenhas/









segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

MADRUGADAS...


A solidão é um templo onde um velho Punk bêbado vomita suas magoas.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Abiose


O tédio estar a meu redor logo d´min filho da Erva e do Pó!

Essa figura sem forma ora “peda” outrora quem tu mais adora!

Essa criatura de veneno singular adoece a Alma o Corpo faz definhar!

A insanidade faz-se presente possuindo os sobreviventes de um suicídio iminente!

A morte se torne tão sedutora...

Ardente Ruiva, loira.

Na minha mente brota um fascínio que culmina em devoção!

Nesta fúnebre brincadeira comparecem Giletes, Seringas, e outras Paixões derradeiras!

O primeiro sintoma da paixão antipatia por minha respiração Abiose sua conclusão!

domingo, 10 de janeiro de 2010

O meu nome é Zé Limeira



O meu nome é Zé Limeira
De Lima, Limão , Limansa
As estradas de São Bento
Bezerro de Vaca Mansa
Vala-me, Nossa Senhora
Ai que eu me lembrei agora:
Tão bombardeando a França

Ninguém faça pontaria
Onde o chumbo não alcança
E vou comprá quatro livro
Prá estudá leiturança
Bem que meu pai me dizia:
Jesus , José e Maria,
São João das Orelha mansa

Ainda não tinha visto
Beleza que nem a sua,
De cipó se faz balaio
A beleza continua
Sete-Estrelo, três Maria
Mãe do mato pai da lua

A beleza continua
De cipó se faz balaio
Padre-Nosso, Ave-Maria,
Me pegue senão eu caio
Tá desgraçado o vivente
Que não reza o mês de maio

Sei quando Jesus nasceu,
Num dia de quinta-feira,
Eu fui uma testemunha
Sentado na cabeceira
São José chegou com um facho
De miolo de aroeira

Um dia o Reis Salamão
Dormiu de noite e de dia,
Convidou Napoleão
Pra cantá pilogamia
Viva a Princesa Isabé
Que já morô em Sumé
No
tempo da monarquia

Zé Limeira quando canta
Estremece o Cariri
As estrêla trinca os dente
Leão chupa abacaxi
Com trinta dias depois
Estoura a guerra civí


Retirado http://www.facom.ufba.br/pexsites/musicanordestina/limeira.htm



Tripa gaiteira


Pimenta, Sal, e Munição! Sol vermelho, vermelhidão...

Lajeiro Bonito que beleza de visão. O Galo de Campina açoita bem dizendo uma antiga maldição... Malasombro / Visagi / Canela Seca / Papo Amarelo. O coreto abriga os macacos.

Uma Morte rápida para os que não tem medo nesse Sertão. Muiê direita ta na igreja rezando, as muiê Dama tão com noi Lutando.

Fumo para Comadre Florzinha mel para Compadre Floará.

Fiquei amarrado num graveto vendo o tempo passar.

Pimenta, Sal, e Munição! Sol vermelho, vermelhidão... Lajeiro Bonito que beleza de visão. O Galo de Campina açoita bem dizendo uma antiga maldição... Malasombro / Visagi / Canela Seca / Papo Amarelo. O coreto abriga os macacos. Uma Morte rápida para os que não tem medo nesse Sertão. Muiê direita ta na igreja rezando, as muiê Dama tão com noi Lutando. Fumo para Comadre Florzinha mel para Compadre Floará. Fiquei amarrado num graveto vendo o tempo passar.

sábado, 9 de janeiro de 2010

BORRACHO PUNK (Praia dos Seixas)


Imagine uma poesia escrita por um bêbado...

Entre nas suas palavras. Imagine seus versos ébrios...

Entre nos seus delírios. Imagine um bêbado d´cabelo Azul; Olhando o mar...

Ele se diverte e se emociona com a vida em sua volta.

Continua a beber... volta a escrever, estar em transe...

O papel esta molhado, pingos coloridos escorem dos seus cabelos.

A paisagem é deslumbrante, o Céu, o Mar, a Brisa, as formas das Nuvens... Ele esta alheio a tudo isso agora que voltou a escrever . Escrevei e bebi... bebi e escrevi. Ele tem a aparência rude! Um rosto sofrido, tatooagens opacas. Muito,muito magro. Sua garrafa secou... Ele se levanta, junta seus papeis sem muita coordenação e se vai

Retirado: SplitPoezine PUS... TEMA / PUNK

sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

Editorial: I Festival de Musica e Poesia do Sistema Penitenciário da Guanabara,


O vencedor foi André Borges, que cumpria seu décimo anão de prisão, mas teve força para escrever: “ Enganam-se os que me julgam vencido. No desterro destas grades forjo as armas do combate da batalha do oprimido. Crescem-me na alma os germes dos proscritos e irrompe do meu peito um brado de revanche em surdos gritos: Eu não fui vencido! Repouso no sepulcro sem nunca ter morrido. Neste desterro de grades guarnecido onde as vezes brilham luzes estelares, dos livros sorvo o saber e as lições de lutas milenares. Embora da derrota a lança sangre-me ainda o coração não temerei novas batalhas se empunhando agora a arma da razão. Regressarei a vida onde me espera a luta, no corpo levo o execrável estigma das grades, no coração uma esperança nova, na alma, uma paixão que arde, Liberdade! Liberdade!

Retirado do livro 400 contra um a verdadeira Historia do Comando Vermelho

BONIE y CLAIDE AMOR MATA


Embreagar-me-ei, dopar-me-ei todos os dias de saliva e vinho e mesmo assim durante meu definho terei forças para acalentar-te.

Estou acometido pelo maior dos vícios, absoluto, a religião das religiões o dogma dos dogmas.

Sofro e consigo dar risadas, morro de dor mas de min ainda prazer exala. Uma caravana de sentimentos p (n) obres. O sangue nos nossos corpos, as pedras do jogo, risadas,latas,crianças,velhos,caboclos,prostitutas,ciganos...

Devo-lhe lagrimas sóbrias minhas.

As Tempestades, Os Furacões, Os terremotos, a fúria inexplicável dos vulcões, nada disso a min impressiona. Não que eu domine as ciências, pois sei que é tudo obra de tua peçonha.

Bruxa, Insana, Mulher,Criança. Que me arrebata e tira para dança e me convida a viver beija-me com um gosto que ainda vai nascer... Fel, Mel,Carnificina, um gosto suave Divino com um “q” do maligno que não sei dizer... Mais uma dessas coisas maravilhosas, que estão entre o instante mágico da madrugada para o amanhecer.

O sangue também tirei do teu corpo, lagrimas do teu rosto, suor frio de tua face. Sei de nossas Neuroses, o pecado nos chama, a pulsação dos vícios, alterados ritmos cardíacos, o odor das secreções. Vejo-me soterrado e ao contrario do esperado permaneço calmo. Vejo-te entre os escombros em meio ao frio e a fome, a dor e ao abandono no ceio do Kaos, estais linda e paira sobre os corpos menina.

Dedicada a Iara.

Retirado do Poezine Porreseco

Zk



Minhas varizes faceais mapeiam a hidrografia do meu rosto.
Esculpindo profundos Vales de Solidão e desgosto.
Minha pele seca e rachada com algumas tatuagens opaca não contam um décimo de minha saga.
A ausência de saúde dentes, músculos, me tornou um eremita, a espreita da estreita e sombria caverna da vida.
Sustento por grandes pés um corpo fraco,guenzo,debilitado...
Minha boca é uma caverna oca e cheia de germes, o meu bom dia tem cheiro de fezes.
Na garrafa vejo toda minha sina...
Solidão, Poesia e Ruína!
Meus olhos grandes e negros guardam letais segredos tendo a incrível capacidade d´ mudar de cor, toda vez que barbaramente é atacado pelo amor.
Sentimento que me causa nojo!
Sinto repudio ao gozo!
Tenho nojo do cheiro do sexo, dos seus fluidos e objetos.
Assim como toda doença fulminante sou discreto.
As manchinhas da minha pele, tão bonitas escondem sua cancerosidade. Assim como aquele sinalzinho preto que você lambe também é um tumor.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

ANIBAL e zK na terra de Thor

Sua memória é bipolar emenda Mestre Anibal Filosofo d bar´...

Sentado sobre duas cadeiras em plena segunda-feira a cismar...

Nem o estudo de todas as formas de ver o mundo e sua compreensão lhe daria mais satisfação que um Peti na escuridão...

A Cismar Meditando a quem diga: Vagabundo! Para min um ébrio cronista do mundo!

No seu escritório a Beira-Mar paga dez por cento mais deixa para lá!

Pede mais uma breja a mais barata não importa qual seja!

Quimeras Filosofais, Pesadelos Reais Alquimia que não se finda com a conta e quando diz a tia: Fudeo! Lá vem a policia!

O PARAISO

A visão do Seixas é tão bela! A Natureza caçoa dos casebres e da gente banguela.

Refugio singular o ant paraíso antes da Penha estar escondido.

Eu amo a próxima dose, remedinho contra neurose.

Seus olhos a frente do Mar rouba toda sua imensidão essa por sua vês faz mensura a minha solidão...

Os sem beleza confraternizam-se no Seixas...

Crack, Maconha, Pinga e Cerveja!

A Natureza sorrateira observa... Do Mar ao alto da Serra, igual a uma Brisa de verão com minúcias calcula seus planos para nossa extinção.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

HÁ UMA DIFERENÇA ENTRE A VIDA E A SOBREVIVÊNCIA

A ciência médica confirma: há uma diferença entre Vida e sobrevivência. Há mais em estar vivo do que apenas ter batimentos cardíacos e actividade cerebral. Estar vivo, realmente vivo, é algo muito mais subtil e muito mais esplêndido. Os instrumentos medem a pressão sanguínea e a temperatura, mas ignoram a alegria, a paixão, o amor, todas as coisas que fazem a vida realmente valer a pena. Para tornar as nossas vidas importantes novamente, para realmente tirar o máximo delas, temos que redefini-las. Temos que descartar as definições meramente clínicas, em favor daquelas que têm muito mais a ver com o que nós realmente sentimos.

Quanto de vida vocês têm nas vossas próprias vidas? Quantas manhãs acordas sentindo-te verdadeiramente livre, vibrando por estar vivo, ofegantemente antecipando as experiências de um novo dia? Quantas noites adormeces sentindo-te preenchido, recordando os eventos do dia que passou com satisfação? A maioria de nós sente-se como se tudo já estivesse decidido sem o nosso consentimento, como se viver não fosse uma actividade criativa, mas algo que acontece connosco. Isso não é estar vivo, é apena s sobreviver: é ser um morto-vivo. Nós temos agentes funerários, mas os seus serviços não são frequentemente requeridos; temos cemitérios, mas gastamos a maior parte do tempo em escritórios, jogos electrónicos, centros comerciais, em frente das televisões. É lógico que as donas-de-casa de classe média e os executivos morram de medo do risco e da mudança; eles não conseguem imaginar que possa existir algo mais valioso do que a sua segurança física. Os seus corações podem estar a bater mas eles não acreditam mais nos seus sonhos, deixando-os para trás.

Mas é assim que a revolução começa: uns poucos começam a perseguir os seus sonhos, rompendo com os velhos padrões, abraçando os que amam (e no processo descobrindo o que odeiam), divagando, questionando, agindo fora das fronteiras da rotina e do conformismo. Os outros vêem-nos a fazer isso, vêem pessoas a preocupar-se em serem mais criativas e aventureiras, mais generosas e mais ambiciosas do que elas jamais imaginaram, e juntam-se a nós, um@ a um@. uma vez que um número suficiente de pessoas abrace esse novo modo de vida, um ponto de massa crítica é finalmente alcançado e a própria sociedade começa a mudar. A partir desse momento, o mundo vai começar a ser submetido a uma transformação: do assustador e alienígena lugar que ele é para um mundo repleto de possibilidades, em que as nossas vidas estão nas nossas mãos e qualquer coisa pode tornar-se realidade.

Portanto, faz o que quiseres da tua vida, o que quer que seja! Mas certifica-te que vais conseguir o que queres. Primeiro pensa cuidadosamente o que realmente é e como farás para consegui-lo. Analisa o mundo à tua volta, assim saberás que forças e pessoas estão a agir contra os teus desejos, e quais estão do teu lado. Nós estamos aqui fora, vivendo a vida ao máximo, à espera de ti! nos E.U.A. à boleia nos comboios, organizando protestos em escolas públicas, escrevendo cartas lindas como esta durante um pôr-do-sol num paraíso abandonado nos Pirinéus. E nós acabámos de fazer amor no wc da tua empresa, minutos antes de entrares nele durante a tua meia hora de almoço.

A vida está junto de nós esperando por ti, nos picos de montanhas não escaladas, nas fogueiras dos campos e em edifícios em chamas, nos braços de amantes que vão virar o seu mundo de cabeça para baixo. Junta-te a nós!

Crimethink

in "Acção Directa" Junho/Julho 2005.

http://accaodirectarevistaanarquista.blogspot.com/

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Mel Pícaro corruptor!


Acompanhado por um Prisioneiro Belga que se põem a trinar esse aventureiro Amarelo traduz seu calvário no cantar.

Confunde-se com minha personalidade a Amargura o Desdém e o Penar...

Os Vícios a Navalha e a Fé: sempre a me esgueirar...

O Absurdo, dose trivial de um dia-a-dia normal.

A falta repleta de ostentação dobra-se perante a ant-magia da humana imaginação.

Fotos traduzem perfeitamente as ações dos entes do pretérito, futuro e presente!

Nesse tempo congelado os sorrisos, abraços, estão a um passo do sarcasmo!

E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor nasce à mosca varejeira que pousa em todo amor!

D´fronte a essa Aquarela de Sabores urra minha Pantomima de Amores...


Uma arrevoada de Flores ao som do teu silêncio

Doutor queria lhe pedir por gentileza as sobras do pão de quarta-feira...

Você viu! Só não teve olhos para enxergar

...Doutor minha criança que o Sr estuprou abortou, mas me falou que sua camisa já passou!

Sim, ainda te amo... Mas existe o Espelho, o Reflexo e quem é a Parede?

O Crepúsculo é minha cria bastarda! Seus braços são um covil que não distingue ismos se é Puta ou quem a Pariu...

Acompanhado pela eterna ausência que me segue na excelência de ficar bêbado!

Os Abandonados unidos pela comunhão dos Viciados.

A Madrugada é a Madrasta de todos os moribundos...

A Fé me guia! O oitão me guarda minha mãe desculpa o que fiz nas Madrugada!

Os Sequelados unidos pela Comunhão dos Desgraçados!