(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

sábado, 29 de janeiro de 2011

Feliz Ano Novo!



O Tempo












(*)Marcos Mairton
(*) Publicado originariamente na coluna "Contos, crônicas e cordéis" do Jornal da Besta Fubana.


quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Da água ao álcool,do amor ao ódio, da paz a guerra



Sentimentos que altera toda minha percepção,

Transformo-me em um pobre cão sem razão, a deriva. De um mar de ilusão,

Que nado contra maré, afogado nessa comunidade ralé!

Esse é o pobre poeta que vos fala de seus sentimentos sem sentidos. A quem ler não demonstra qualquer sentindo, nem nexo,

Afinal tudo isso é mesmo um problema complexo.

Escrevo para o alcoólatra, o depressivo, o poeta de bar.

Que entende essas palavras, nem é preciso decorar,

Pois vos falo de uma alma que transmite todo o sentimento, a dor, ilusão,

Desses seres, que ao ver da sociedade são sem razão!

Porém, estou aqui para provar, que quem critica é aquele que não tem coração.

Quem nunca sofreu? Escarre o primeiro catarro amarelo, atire a primeira garrafa,

Apague o último cigarro e mande tomar no CÚ! O garçom chato e encerre sua farra.

Pois esses inúteis não são dignos de sua companhia e seus delírios ébrios e sinceros.


Anibal Canibal

É só, Poeira Domínio e Destruição!


















Tudo que tenho

Na alma

O que meu corpo

exala

O que se confunde

Na minha visão




É só, Poeira

Domínio e Destruição!




O machismo, o feminismo

A homofobia, o nacionalismo

O criacionismo, o ateísmo

E tudo aquilo

Que tem a

Força como razão!




É só, Poeira

Domínio e Destruição!





Depois que o Amor acabou

Que a bomba estourou

Que o ovo gorou

Que a Flor murchou

Quando a lapide

Cela o Caixão




É só, Poeira

Domínio e Destruição!





Dentro dos meus

Pensamentos

Sob o chão...

No coração do homem

O extermínio da razão!




É só, Poeira

Domínio e Destruição!





A lógica do martírio

O raciocínio do extermínio

O sofá como exílio...

Tudo aquilo que emana

De toda escravidão




É só, Poeira

Domínio e Destruição!


terça-feira, 18 de janeiro de 2011

“A arma é uma Isca para fisgar! Você não é Policia para matar!”





















O Chico Biu
Uniu o nosso
Destino!
A Tarraxinha é
Nosso Hino!
Baseado em fatos
Reais!
Nazismo nunca mais!
Retroceder nunca!
Rendesse jamais!
O Medo é meu
Seguidor!
A Dor é meu
Pastor!
Minha avó é
De Salvador
Doutor Severiano é
Meu vô!
O meu Romantismo
Consiste em ver
No teu espirro
O maior sinal
De Amor que
Existe!
Marreco, ganso e pato
Santíssima trindade dos otários
Viado, piranha d´boa!
Mais ta ligado...!
Traíra é mato!
Não vendo fiado!
Dois e dois quatro
Ave Maria Jota
Estar com a Cristal
Tudo de mais
Faz mal!
Etc & Tal...
Filho da Puta
Cara de pau...
...e para finalizar
Quero destacar :

“A arma é uma
Isca para fisgar!
Você não é
Policia para matar!”

Sinsemilla, Chá de
Cidreira,
Erva doce e
Camomila...
D´ Mataraca a
Cabedelo
É so noia e
Desespero!
Tenho na Agonia
O suprassumo de
Minha Filosofia
Eu e Tu
Mais
5 litros de Pitu
Viagra, Arabu, and
Fuck You
Em mulher não
Se bate nem
Com uma Flor
Já dizia meu
Avô!
Nunca diga nunca!
Antes tarde que nunca!
D´aquela água nunca!
Beberei...
Bicho prego do
Querei!
Nosso Amor é
Eterno, sei...
Ei, Teu nome
É ei?!
No Bairro é
Foda!
La tem Embolada!
Ciranda e Samba
De Roda...
Mas ta ligado!?
Vá com um
Chegado
Amo o Gordo
De Paixão!
A Putaria tenho
Devoção!
Sou sobrinho de
Titão!
Do Grotão rua
Do Can Cão
Segui as migalhas
De pão!
E sendo Broder
Seu, o touqe
Ta dado...
Pode crer Punk
To ligado!
Marquinho foi fechado
Junto com dois
Chegados
Fuzilado!
Na barraca de
Maria...
Onde bebiam
O Mar viu
Tudo!
A Ressaca é
Seu Luto!
...E por aqui
Fico ao som
Do Dj Negro
Rico
Mas só para
Relembrar

“A arma é uma
Isca para fisgar!
Você não é
Policia para matar!”

“Parece Cocaína, mas”.
É só tristeza”
Filosofia da Miséria?
Ou
Miséria da Filosofia?
Quando fui a
Catingueira comi Su shi
Com rapa de
Juá
Dona Maria gritava:
Asopra mininu mode
O fogo pega!
“Luar é meu
Nome aos avessos
Não tem fim
Nem começo”
Jacaré é Jacaré
...E marquinho é
O bicho!
Se me tem Amor
Coma a minha
Dor!
Nicácio é Nicanô
Pablo é Dodô
Roberto é Caolhô
Joaquim é Nabucô
Dj é Ricô
“Não compre plante!”
“Tantos livros na
Estante”
“Olho por olho
Dente por dente”
Quelé caboco porreta
Mascava Pimenta Malagueta
Vivia como rei
Na sarjeta
Tinha tatooado nas
Sobrancelhas:

“A arma é uma
Isca para fisgar!
Você não é
Policia para matar!”

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=171166#ixzz1BPvl3oEv