(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

terça-feira, 29 de junho de 2010

DINIZES




Ô Painhu!!!
Vai enredar de alguém...
Painhu!!!! Ô Painhu!!!
Vai caguetar e dizer que sua participação foi mínima...
Painhô! é Mariana!
Ô Painhuuu!!!
Contrariedade!
Hummmmmmmmmm Painhú!!!
Maria Luiza braba!
Papito... Gabriel querendo alguma coisa!
Painho! Painho! Painho! é piada!!!


sexta-feira, 25 de junho de 2010

ANIBAL – Ô GORDO!


A Dor do meu broder estou sentido daqui...

Quando ele voltar para a Penha vamos fugir!

Os Cantos...

Os Chiados...

Toda Putaria que e a Natureza propicia por um minuto se cala...

A Ponta mais Oriental da Américas nos observa com consternação é que quando o Barba Azul era moço seu maior desgosto era ver no seu rosto impresso as chagas do progresso em ação!

A Dor é uma comunhão...

Os amigos unidos por esse sentimento universal confraternizam suas historias de sofrimento cabal...

E irmanados por esse sentimento hediondo nascem os poemas do abandono!

Aníbal Poeta Singular mestre talhado em mesa de bar com singular destreza termina sua Peleja e os ouvintes:

As Coisas...

A Natureza...

Os homens...

Possuídos por sua retórica tem a certeza que o corpo é o sepulcro da Alma.

A Morte liberta um ser Cósmico em um jazigo de Vísceras, Sangue e Pus...




Te amo Broder, nossa amizade é como você diz :

É igual a Bunda merda nenhuma separa!

Um verdadeiro Poetero!


quarta-feira, 23 de junho de 2010

04/06/10



Você sabe quem sou eu!...

Em detalhes pode me descrever!

As lagrimas ganham vida

Quando descreves o entardecer...

Sou capaz de tocar o castelo

Que você descreveu e seguindo tuas palavras

Penso que o infinito sou eu!

Mais e você?

Sem as Metáforas onde vai se esconder?

Tire a Mascara...

Desça do palco!

Apresento-lhe a você!

Ser que “só faz peso na terra”

Tudo que é poeta é Maldito!

...do Bêbado ao erudito...

Do Ateu ao cristão!

Tenho Nojo desta raça que toda

Vida passa a semear a desgraça com ares de remissão...

Morte! a esse monstro soturno que bebi na fonte do Absurdo!

Morte! a esse ser hediondo que sacia-se no copo do abandono!

Morte! a esse prostituto que faz de todas as dores seu Luto!

NADA PIOR...
















... Que uma criança sangrando.
Um padre rezando!
Um beque Apagando!
Um político discursando e um cretino resmungando!


sexta-feira, 18 de junho de 2010

08/04/10




Meu Broder é um cara do carai...

Gasta cinco mil com Drug´s e compra

Para sua fia uma lembrança de dez real!

Trôpego me dizia assim: “Viver é uma imposição bioquímica e nada mais”

Desculpe-me Poeta... “Você nesta de Poeta que tudo ver” Esqueces que tudo que escreves no fundo, lá no fundo é sobre você! E quando entras no profundo da Maldade! Tua alma sofre de verdade!

Mas isso não quer dizer que quando narras um gozo! Quem sente prazer seja você...

E nesse jogo entre Autor e Personagem o segundo possui o esplendor e muitas vezes a pena do Autor...

...Agora lhe pergunto Poeta, quem é você?

Julgas sem veredicto...

Crês que es Infinito...!?

Broder, como me chamaste vou lhe dizer: desse deste pedestal verme e olha para você!

Choras sem sentir agonia, rir sem nenhum prazer, dessecas a melancolia copiando sinônimos em uma biblioteca fria...

...Meu Irmão me da o copo e vai se fuder!

segunda-feira, 14 de junho de 2010

JACARAPE



Abro uma garrafa de Vinho às outras mergulho no Rio frio.
Não possuo intimidade com o Mar de Inverno, não aquela que ser cria com o tato...
Fico intimidado por suas águas cinzas, frias...
Sua Mística Sombria possui uma Sensualidade que é captada apenas pelo medo!
O Mangue que me observa de boca aberta em min desperta uma estranha sensação em comunhão com esse sentimento transformo palavras em ungüento para aqueles lazarentos que nos corpos levam as chagas da Solidão!

Barba Azul



João Pessoa Chora! A Penha estar de luto! Um de seus filho talvez o mais sagaz e astuto fez a passagem para o outro mundo...
Zé Ramalho contemporâneo de geração com consternação no coração em sua homenagem fez uma canção!
E esse hino ecoa nos quatro cantos da terra na boca de todos aqueles que fazem da efêmera vida, eterna!
Nos olhos desse tipo de gente vais perceber que sua pupila traduz sua crença e sua religião é sua vivencia!
A cidade estar fria, Cinza, Triste...
...por não saber que nosso Pirata ainda existi! Quem deixa filhos sobre a terra faz de sua vida eterna!


Homenagem ao Pai do Gordo.

Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=136962#ixzz0qrTQyhSn

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Cerveja e Obeservações



Raquel é Liberta ela mesma afirmou! Mais me liguei que ao conhecer Tieta ela cabritou!

Negão Mulher que por se só se educou! Mulher sagaz com uma Malandragem d´Black e bagagem de Alcatraz...

Quel, diz não entender essa forma de viver!

A banalidade, futilidade, mediocridade do seres...

Puta que pariu o isolamento é um alento, assim mesmo ela me falou. De peito aberto com seus negros olhos lacivamente engolindo a claridade da Luz da Lua que reflete nos seixos na bucólica praia dos Seixas.

Tenho modo peculiar de meus filhos abençoar,lhe digo que a Existência os abençoe! E seu Zeca va se lascar!