(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

sexta-feira, 25 de junho de 2010

ANIBAL – Ô GORDO!


A Dor do meu broder estou sentido daqui...

Quando ele voltar para a Penha vamos fugir!

Os Cantos...

Os Chiados...

Toda Putaria que e a Natureza propicia por um minuto se cala...

A Ponta mais Oriental da Américas nos observa com consternação é que quando o Barba Azul era moço seu maior desgosto era ver no seu rosto impresso as chagas do progresso em ação!

A Dor é uma comunhão...

Os amigos unidos por esse sentimento universal confraternizam suas historias de sofrimento cabal...

E irmanados por esse sentimento hediondo nascem os poemas do abandono!

Aníbal Poeta Singular mestre talhado em mesa de bar com singular destreza termina sua Peleja e os ouvintes:

As Coisas...

A Natureza...

Os homens...

Possuídos por sua retórica tem a certeza que o corpo é o sepulcro da Alma.

A Morte liberta um ser Cósmico em um jazigo de Vísceras, Sangue e Pus...




Te amo Broder, nossa amizade é como você diz :

É igual a Bunda merda nenhuma separa!

Um verdadeiro Poetero!


Nenhum comentário:

Postar um comentário