(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Empreitada


Nosso amigo Jota nem verso explana do que ele é capaz corre o boato que em Jurú no mei da feira chutou Saranaz.

Galileu era uma caba arretado: Bebia, Fumava, Cheirava... Tinha uma peleja com tal Sexta – Feira namorado de Robson Crusoé caba desaforado que pelo bigode segurou São Jose.

Fui na feira comprar canela lá eu a vi e chupei toda honra dela.

Foi na praia de Tambaú tomava uma com Caju quando me chega Esaú caboclo brabo intrigado de Monteiro Lobato. Se chegou em altos brados : Se foi gol me mato!

Castro Alves é um homem correto mata o pai a mãe, filhos, mais polpa os netos!

O Cartaginez é um tarado d´Cabedelo a Cajazeiras ele é afamado reconhecido domador de burro brabo!

WC FEMININO ,esta escrito na lapide de seu Benedito veio incherido que é tão descabido que tem como vicio perseguir mosquito...

terça-feira, 29 de dezembro de 2009


The awakening of the taste-buds brings a dark reality ... Ingestion of corpses as delicacies

Punk Drunk

Loneliness is a temple where an old drunk Punk spews his heartbreak.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Bida ( Maria Luiza)

Ela vem ate min e subitamente pula nos meus braços. Enche-me de perguntas e sem esperar me presenteia com maravilhosas respostas. No seu corpo esguio vejo o meu.
Espanto-me com sua carismática inteligência maliciosa.
Fui me encontrar nos seus olhos negros me perdi...
Entrei no seu mundo, quero viver aqui. Não sou humano. Não posso viver mais ai.
Recuso a vida!
Adeus...
Vou viver somente nos olhos negros de Bida!

(Dedicada a minha filha de 4 anos)

Eu y ela contra a gramática portuguesa

Sou pequena. Mulher / Menina. Mas me garanto geral... Me garanto com os Punhos fechados e uma tora de pau.Sou Puta, viciada, Jogada... Sou um Animal! Sujo com frio e muito doente. Sou órfão de lucidez, de paz. Meu território é um campo minado protegido como um estado por cinco dúzias de Lunáticos que chamam esse buraco de “ meu pedaço”.

Trôpega vai seguindo...

A cigana pede minha mão; sem futuro nenhum querendo um gole de minha garrafa tóxica de Rom. Vem com sua ladainha, interrompo sussurrando: Cala boca velinha não me venha com suas istorias de Carochinha. Com um ar mascarado a velha disse: coitada, vais sofrer muito ainda antes da alvorada.

Quase sem ar de tanto andar consigo um programa, um velho sujo. Foda-se presciso de grana! Não, não, não Dr. Eu não senhor! To aqui para dormi, não vi quando o infeliz caiu no foço do elevador. Foda-se velho Puto!! Sem grana na minha mão rodou. Falta muito para o amanhecer vou comprar duas pedas para esquecer.

Quando cagava chegou aqueles homens matarão o Torto não morri porque me segurei para não rir... E a noite vai se esgueirando como uma víbora matando. A dor que se renova brota dos olhos de qualquer eu. Menos complexo que uma sina.

Retirado do zine Porre seco.


Todas retiradas do PoeZine Borracho Punk



Para que serve um Bêbado?

Não sei, para rir-se de si mesmo, talvez.

A cidade veja, esta aniquilada pela beleza.

Ah,ah,ah, este sarcasmo de poeta que tudo vê...

É um monstro quer não vou deixar morrer.

Meu reflexo nesta poça: ei de louvar o desespero, a solidão destas linhas. Vou cantar. E vou chorar. E vou partir. Sem Rimboud, sem Daka, para os mundos. Ser banal e engraçado. Com sua partida ei de escrever. Beber vinho e chorar não o amor que parte , mas o vinho que se finda. Lagrimas... Fechar os olhos, tristemente. Dói. Eu não fico longe de você... Eu sei. Sem varizes. Ah, cale a boca. Objeto noise que o tempo não carrega.

Mas abate, Esta imagem eu construir somente para min, que ela apodreça, com minha morte. Para que serve um Bêbado? Foda-se. ( FABIO )


& NOSSAS PROIBIÇOES SÃO MELHORES QUE A DELES???

Rumo a lama do óleo que não se mistura. O mundo é mesmo redondo, as facas não! As facas não brincam se colorir. Peguem logo uma arma e escolham atirar... A teta da merda de sua vida é bem mais atraente! Cuspa seus desejos abençoados pelo céu e jogue cerva ao vento...

Comemore o circulo de minhas palavras e fuja... ou atire logo em minha cabeça,se puder! ( GLAUBER )