(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Eu y ela contra a gramática portuguesa

Sou pequena. Mulher / Menina. Mas me garanto geral... Me garanto com os Punhos fechados e uma tora de pau.Sou Puta, viciada, Jogada... Sou um Animal! Sujo com frio e muito doente. Sou órfão de lucidez, de paz. Meu território é um campo minado protegido como um estado por cinco dúzias de Lunáticos que chamam esse buraco de “ meu pedaço”.

Trôpega vai seguindo...

A cigana pede minha mão; sem futuro nenhum querendo um gole de minha garrafa tóxica de Rom. Vem com sua ladainha, interrompo sussurrando: Cala boca velinha não me venha com suas istorias de Carochinha. Com um ar mascarado a velha disse: coitada, vais sofrer muito ainda antes da alvorada.

Quase sem ar de tanto andar consigo um programa, um velho sujo. Foda-se presciso de grana! Não, não, não Dr. Eu não senhor! To aqui para dormi, não vi quando o infeliz caiu no foço do elevador. Foda-se velho Puto!! Sem grana na minha mão rodou. Falta muito para o amanhecer vou comprar duas pedas para esquecer.

Quando cagava chegou aqueles homens matarão o Torto não morri porque me segurei para não rir... E a noite vai se esgueirando como uma víbora matando. A dor que se renova brota dos olhos de qualquer eu. Menos complexo que uma sina.

Retirado do zine Porre seco.


Um comentário:

  1. hey!!! Gracias por pasarte por mi blog, hibas borrachoo hehehee, es igual borracho o no, gracias p or pasar, puedes descargar todo lo que queras, para eso esta la musica que coloc. saludos. http://ivanxgrindx09.blogspot.com/

    ResponderExcluir