(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

sábado, 31 de julho de 2010

SHIVAS - REPENTE


O Cartaginês pirou

Quando um Shivas tomou

No pingo do meio dia

Dizia ser dezoito horas

E cantava Ave Maria

Joaquim Nabuco caba astuto

Batia tambor

Nos fundos da casa

De Dona Canô

O Compadre Galego é presepero

Faz amor com Beto o dia inteiro

Vixe Maria ! Cleópatra ta danada

Em Santa Luzia foi assaltada


São Jose é cantor

Toca na banda de Lazarô

Para o bicho não pegar

Nicanor teve que rebolar

Noé boquero quente

Mata noiado com os dentes

Jesus caba afamado

Lúcifer ele tem tatooado no braço

Foi em Lajeiro Bonito

O ribuliço que tremeu o chão

A peleja de Abraão

Com um Partideiro

Do morro do Alemão


Assaré sujeito honrado

Go go boy a noite

Durante o dia é macho

Patativa é passo brabo

Sorria você esta sendo filmado

Arriégua desconjuro vai de reto

Tudo em vinte quatro vezes sem juro

Raquel poetisa quente

Diz que Fariseus não é gente

Raça de corno

Diz o eleitor

Votar é obrigação

Eleger é abrir mão da salvação

Explica Frei Damião


José F. Borges

Cordelista Amoral

Caba desaforado

Anarquista Macumbero

Pinguço Presepero

Foi preso no Juazeiro

Torando um Burrego

Dom Quixote foi Tenente

Marchante Ambulante

Crente Caba pedante

Viciado em Baralho

Bebi no Bordel Minotauro

Nostradamos foi condecorado

Por seu mestre Zé Ramalho

Alberto Caeiro biritero

Seu irmão Álvaro era dono de um putero

Chove em Mulungu

Um Pardal Suru

Come um prato de Angu

Em Jacaraú

O Teju se abofelou

Com um Timbú

Puta que pariu

Grita o Tatu

Bicho valente

Com bigode de

Onça palita os dentes

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Um Odè a Zé Limeira


J.B. Repentista afamado

Por S. Jorge foi convidado

Para torar um Jumento

Justo no dia do casamento

S. Benedito veio com a peleja

Ave maria caba safado

Foi pênalti em Romário!?


Zé Limeira caba da bagaceira

Foi ordenado Padre na Quarta – Feira

Morrendo de frio

Teve uma insolação

Quando foi a pé

Do Alaska ao Sertão

A policia estourou o jogo

D. Pedro diz

Esta tudo bem

Padre Cícero no queijo diz amem!


Lampião caba afamado

Na Suíça foi condecorado

Oito noves fora quatro

Pudim de Jenipapo

Suco de Macaxeira

Acuda roleta na Gafieira

Elias me deu um tiro de baladera

Bakunin pediu a saidera

É cocada boa diz o padre Jose de Anchieta


O por do Sol no nascente

É o apocalipse diz o vidente

No mei da fera o macaco levou peia

Indignado soltou um brado:

Se foi gol me mato!

Foi em Taperoá

Que vi Atena

Se descabelar

Pó um taco de Caju

Deu uma tapa no Dr. Robsú


Davi era um cabinha desaforado

De Êutico era intrigado

Todo Tatuado Heliodoro lhe diz baixinho

Esperança e desespero paridos

Em uma cabaça no Juazeiro

E por fala em Juá

Aquele caba lá

Não consegue mijar

E foi no alto Sertão

Sentindo a brisa costeira

Conheci uma Morena facera

Deus me livre de Cobra

O que não mata engorda

Diz os hindus

Viva eu viva tu viva o rabo do tatu


terça-feira, 20 de julho de 2010

VERSOS II


O Sofrimento no meu peito me deu esse tal direito d´ morrer em cada palavra pois minha alma guarda todas as facas usadas em Versos para ferir a pessoa Amada!


segunda-feira, 19 de julho de 2010

MEU SAMBA II



Seu desrespeito selou seu destino

Não ligo se te conheço desde menino

Com sua arma verbal você atentou contra minha moral

Será rápido e indolor em respeito ao que passou

Podes crer não vou envolver família só você esta na minha mira

Nos quatro cantos da cidade ouço o som de sua deslealdade e Trovão é sinal de Tempestade

O aviso foi você que me deu quando cuspiu no prato que comeu

Disse tudo isso olhando para você

Puxe! Sabe lá quem vai morrer

Traíra du carai bem diz o ditado:

Bala! na cara de filho que dá em pai

VERSOS


Tenho amor pelos Versos ate pelos meus...

Os seus... Principalmente o do nosso adeus!

Amo os Versos Sinceros escritos nos labirintos da Dor!

Amos os Versos Mudos escritos por sussurros dos Subúrbios!

Amos os Versos de Amor... Pois a Alegria é um lapso da Dor!

Tenho amor pelos versos Obscuros pois são reflexo do futuro!

Amo os Versos escritos no Escuro sabemos que é daí o nascedouro do Absurdo!

Amo os Versos da Paixão pura Sofreguidão!

Amo os Versos da Saudade imagem da nulidade!

Amo os Versos dadaístas o Estriquinina da rima!

Tenho amor pelos Versos de Dor que contam historias de Amor!

Amo os Versos dos Becos escritos pelo Desespero!

Tenho amor pelos Versos do Cárcere rabiscos nas Azas da Liberdade!

Amo os Versos do Sexo seus Fluidos e Objetos!

Tenho amor pelos Versos das Madrugadas entre linhas de historias Bastardas!

Amos os Versos hediondos escritos pela mão do Abandono!

terça-feira, 13 de julho de 2010

AMBIGUIDADE (LÁ & LÓ)


Vejo a Felicidade pela janela um sutil flerte com ela e dessa

Paquera nascem todas as flores da Primavera!

Perante tua companhia é servida fria minha alegria.

Diante deste prato escatológico vejo o enjoo nos teus olhos!


Neide


Sua castidade seria uma afronta a humanidade!
Tua Luxuria é um néctar que só os homens podem provar...
Por esse motivo os Deuses tomam forma humana para a te degustar!
Teu gozo inebria a Alma o corpo faz delirar...
A dança do teu sexo é o mais puro reflexo da devassidão e alucinado! Sinto como se todo o universo coubesse na palma de minha mão!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Dona Severina Seráfica Severa Dantas



Compadre Foiará estar todo escalambenbado por Comadre Florzinha ele foi surrado!

A afilhada da vizinha da rua de traz de uma testemunha ocular conheci... E a Sra. Disse assim: “ Na igreja a serpente entrou no seio da mãe como o vigário ordenou ela mamou e numa criança linda o demônio se transformou...”

O segredo do Universo vou lhe desvendar, diz o Macaco : Tire-me da boca Dona Onça para que possa lhe revelar!

Por um tiro de canhão Lampião foi alvejado em uma casa foi obrigado cercado pelos macacos fez um pacto com o Diabo transformou-se em Cavalo e saiu enfeitiçado!

A Cascavel no tornozelo lhe deu o bote! Ele a pega! Cospe nela e ela morre! Caba Curado é assim! E é de nascença, guarde seu dinheiro não tem como comprar uma benção!