(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Julgues



porque já pequei
porque já errei
porque já sonhei
porque já me dei
porque já fui
e já, voltei.

Não me julgue
se sou carne,
se sou alma
se sou o intenso
o maciço o fascínio
o desejo o feitiço
ou o pecado.

Apenas lhe peço,
não me julgues
somente olhe
e saibas que,
sou o mistério
o ensejo o devaneio
a poesia...

Geane Masago

2 comentários:

  1. Obrigado Zk, por ter adicionado aqui este poema se trata dos desejos de uma mulher. rs Bjuss de cheiros pra ti tbm... Até mais...

    ResponderExcluir
  2. Parabéns a vc dengo!

    Escreves como quem ama...

    É emocionante!

    Úze.

    ResponderExcluir