(...) “Se eu morrer muito novo, oiçam isto:

Nunca fui senão uma criança que brincava.

Fui gentil como o Sol e a Água,

De uma religião Universal que só os homens não têm.

Fui feliz porque não perdi coisa nenhuma,

Nem procurei achar nada,

Nem achei que houvesse mais explicação

Que a palavra explicação não ter sentido nenhum”. (...)

F.P. Alberto Caeiro




BlogZine..... Poemas, Devaneios e Contos...


"Há uma coisa tão inevitável quanto a morte: a vida."



...E na osmose que ocorre entre a Divindade e o seguidor, nasce a mosca Varejeira que possou em todo Amor!



“Ou eu encanto a vida
Ou desencanto a morte...

"Todos somos fanáticos para tanto basta que alguém arranhe uma de nossas crenças. "

AMORAL ARNARKIKO PUNK DRUNK ANT TUDO

A felicidade é minha fantasia favorita!




...Fodam-se! Enquanto podem





NO PROFIT!

"O Céu é meu teto; a Terra é minha pátria e a Liberdade é minha religião"



Caso encontre algum erro, aprenda com ele!





"Viver para o nada! ...e negar! a vida

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Fato...Fé & Peixeira!




No Renascer tem
Mais barato!
...e é o Barro!
Na minha boca predomina
A Carie & o tártaro
Entre todas as brincadeiras
D´criança
A dança das cadeiras
É a que melhor
Exprime a confiança!
O eleito continua a ruminar
Quando sorrir
Seca planta com
Seu olhar...
O sangue novamente me possuiu...
...com a fatalidade d´tudo aquilo
Que esconde-se
Por traz do vacilo!
Diversão! Menina branca!
Esguia entrega-se na
Mesa de vidro
E trinca meus sentidos!
A trivialidade flexa certeira
Na Maça derradeira
Que meus genes
Pós sobra minha sorte

Um comentário:

  1. Brincava de salada mista, mas nunca confiava na dica da pessoa que me tampava os olhos...
    -É essa? - Apertava a minha face. Eu dizia: - É!
    Abria os olhos e via que tinha sido sacaneado.
    Não tinha jeito: se não beijasse, tinha que passar no corredor polonês.
    Ía pra casa todo escarrado! Maldita brincadeira!

    ResponderExcluir